fbpx
Buscar...
0
/\
Confecção Empreendedorismo Moda

É possível começar uma marca se eu não sei desenhar?

Quero ser empreendedora das moda, e agora? Eu preciso manjar muito de arte e desenho?

Isso vai depender muito, mana. Se você quer meter a mão na massa, na parte criativa, é bom você aprimorar os seus conhecimentos artísticos. E lembre-se: você é capaz de adquirir novas habilidades. Não se prenda ao papo de “não tenho dom pra desenhar”; procure por cursos, oficinas, se qualifique. Você só vai saber se tentar e, se não rolar, não tem problema, pule pra outra função, até porque você não precisa ser o maior desenhista de croqui da face da terra, não é necessariamente isso que te fará um profissional de sucesso. Ah! E falando em mudança de mindset, para você parar de vez de se comportar como vítima “óh, eu não consigo, não tenho talento”, eu super indico a leitura do livro Mindset, a nova psicologia do sucesso.

Quanto ao nosso tema, você pode sim ter uma marca de roupas sendo de áreas como administração, comunicação, marketing e outras, não precisa ser exatamente da área da moda. Nesse caso, você vai precisar contratar os serviços de outros profissionais para fazer o desenvolvimento de coleção, desenhos técnicos, modelagens e etc. E aí, a sua função será se preocupar mais com a parte administrativa e de marketing do seu negócio. Acredite, se você tem tino para os negócios, manja de administração, conhece muitas pessoas e vende até a sua própria mãe, você já está com uma vantagem muito grande.

Eu, por exemplo, comecei confeccionando/produzindo acessórios e, aos poucos, fui me encontrando dentro da profissão e do empreendedorismo, até chegar onde eu estou. E uma história bem curiosa, que eu sempre conto, é de quando eu consegui um emprego como assistente de estilo em uma confecção, quando a dona pediu que eu fizesse um desenho técnico. Esse parece ter sido o meu teste admissional, assim, na hora; eu tava entregando currículos e fui pega de supetão. Na época, eu estava no segundo ano da Faculdade, tinha pouca experiência e, quanto à técnica em desenhos, eu era bem razoável. Mesmo assim, não recuei: fiz o teste e fui contratada. Hoje, acredito que a qualidade de meus desenhos técnicos passaram para outro nível; às vezes, quando eu passo um tempo sem desenhar, perco um pouco a mão, mas basta eu voltar às atividades para ficar afiada novamente. 

Portanto, saber ou não desenhar não pode ser o foco principal em sua jornada na moda, pois o que realmente vai importar é o resultado do seu trabalho; é deixar a sua assinatura, o seu design nas suas produções e no seu branding, independentemente de qual foi sua função nesse desenvolvimento. É esse resultado final, é estar mergulhado no processo que vai dar um novo significado pra sua vida profissional, acredite.

Até hoje, quando eu estou desenvolvendo as peças da Astele, vem uma sensação maravilhosa, porque pra mim não tem nada melhor do que ver as minhas produções, que são feitas com tanto amor, ficando prontas. E é engraçado porque eu já faço isso há 8 anos e, mesmo depois de todo esse tempo, eu ainda me sinto super viva fazendo todas essas coisas.

Enfim. Vai fundo que estamos juntx ♡

«

»

2 Comentários

  • Vanessa Oliveira

    Você me inspirou a começar minha marca ainda nao tenho muito mas tenho força de vontade e o pé no chão e sei que vou conseguir, seu trabalho e incrível.

    • Thalita Canavieira
      AUTHOR

      Nossa Vanessa, que mensagem maravilhosa, fico muito feliz em saber disso. Desejo que a sua força de vontade nunca acabe e que você consiga realizar as suas metas!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *