fbpx
Buscar...
0
/\
Confecção Empreendedorismo

O sucesso nas vendas vem? 4 dicas para driblar o medo e a insegurança comuns no começo da sua marca.

E se ninguém comprar de mim? É, mana, esse parece ser um medo e um questionamento que assombra todos nós, e vou te falar: eu não posso garantir que tudo que você fizer vai ser sucesso e vai vender, mas eu posso te contar a minha experiência e te dar algumas dicas.

Quando eu comecei a minha marca, eu fiz mais ou menos 05 modelos, e desses, 02 foram estampas localizadas em sublimação. Na época, eu não tinha a mínima experiência em fazer roupas e vender de verdade, logo uma parte dessas peças, as em sublimação, encalharam; e os outros modelos foram uma mescla de tecidos lisos com uma estampa exclusiva que eu tinha criado para o meu TCC, os quais foram todos vendidos.

Era o início de tudo, eu havia acabado de finalizar meu curso de modelagem, eu não tinha noção nenhuma do que era tendência e muito menos tinha experiência em criar modelos pra minha própria marca, mas eu tinha o meu DNA e queria fazer uma moda diferente. Foi tudo muito no feeling e na pegada da identidade que eu havia criado para a Astele.

E hoje em dia, com toda a minha experiência de marca, o que eu posso te dizer é: 

1. Existe gosto pra tudo e certamente alguém gostará da sua arte. Você precisa entender que o mundo é diverso e muito próspero pra quem sabe enxergar as oportunidades. Existem pessoas de diferentes estilos em busca de seu estilo de roupa, então confie mais em você, na sua criação, coloque todo o seu amor e a sua essência nas suas peças. Quando você se mostra confiante e defende o seu produto com unhas e dentes as pessoas percebem e, automaticamente, sentem essa energia vindo do que você cria. Outra coisa muito interessante é prestar atenção nas lacunas do mercado; às vezes existe um brecha, um tipo de produto que as pessoas procuram, mas ainda não tem. Pode parecer difícil encontrar essa brecha e eu não falei em nenhum momento que seria fácil, mas você pode tentar;

2. Separe uma porcentagem pequena de peças que carregam demais a sua essência, que são aquelas peças piração, pois a maior parte da sua coleção terá que ser de peças que são mais assertivas/comerciais. Pensa só, quais são as peças que você mais usa? Quais peças você percebe que dominam os seus looks? Pois é, você precisa pensar que as pessoas estão em busca de coisas diferentes sim, mas, na maioria das vezes, elas compram peças que elas podem usar em qualquer ocasião;

3. As suas peças precisam despertar o desejo de consumo, mas existem estratégias para vender mais, nas quais você deve investir. Uma delas é o Branding, porque olha só, você pode até ter um produto mais simples, mais básico e pensar “poxa, mas esse produto em si não tem nada de diferente”. Pois é, acontece que você pode mostrar esse diferencial em outras etapas como no atendimento ao cliente, na embalagem, na experiência de compra e tudo isso é o tal Branding. Outra coisa que vende muito é o Propósito, sim, isso mesmo, o propósito da sua marca, o porquê de você estar fazendo o que faz, qual dor do seu cliente você está resolvendo. As pessoas se conectam por meio das causas e se você mostrar isso através da sua marca, você vai atrair muitos fãs.

4. Você não precisa fazer nada no escuro, então faça enquetes, conheça o seu público, conheça os seus possíveis clientes. As redes sociais são um ótimo ambiente para isso, explore suas ferramentas. Faça pesquisas de mercado, estude o mercado e veja quais são as grandes apostas da moda. Isso vai te ajudar a ser mais assertivo, a ter menos peças encalhadas e a fazer uma moda mais consciente. A era de fazer tudo de qualquer jeito acabou, o conhecimento está aí e a internet te fornece várias ferramentas maravilhosas nunca vistas antes (pensa como era dureza empreender em 1900 e bolinha). Seja curioso, seja empolgado, não deixe de acreditar que sim, é possível.

E lembre-se do que falei no início: mesmo eu sendo iniciante no jogo do empreendedorismo, mesmo tendo acabado de sair do curso de modelagem, mesmo eu não sendo filha de pai rico, eu vendi praticamente todas as peças da minha primeira coleção.

«

»

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *